9849486094?profile=original

SÃO PAULO, outubro do ano 2018 – Que a vida de mãe é bastante agitada e repleta de compromissos não é segredo para ninguém! E são tantas responsabilidades, que muitas vezes não dá para parar, nem quando a dor aparece. Os fatores que desencadeiam algumas dores são variados, mas interferem na rotina. A pesquisa A Dor no Cotidianoconduzida pelo Ibope Conecta em parceria com Advil e realizada com 1.954 pessoas em todo o país detalha que 528 pessoas que se declararam mães reclamam de dores e isso afeta negativamente a relação com os filhos.

style="display:block; text-align:center;" data-ad-layout="in-article" data-ad-format="fluid" data-ad-client="ca-pub-6652631670584205" data-ad-slot="4150813131">

O diretor médico Latam da Pfizer Consumer Healthcare, Luiz Henrique Fernandes, ressalta que a dor pode afetar o comportamento e atrapalhar a vida de qualquer pessoa. “A dor deve ser entendida no contexto social, físico e emocional. Esses impactos acabam interferindo na participação de atividades diárias, o que pode afetar negativamente relacionamentos e interações”, explica.

A jornalista Suelen Rodrigues diz que, além da rotina como mãe e profissional, de vez em quando é preciso driblar a dor nas costas. “Sou mãe de gêmeos, por isso aqui a demanda é dupla. Às vezes sinto dor nas costas e, quando o incômodo aparece, fico chateada por não estar 100% disposta para cuidar deles”, revela.

O estudo mostra que 42% das mães entrevistadas mencionaram ficar irritadas por conta da dor; 35% se sentem frustradas por não conseguirem cuidar e dar a atenção que gostariam ao filho e 26% dizem se sentir impotentes e com sensação de perda do controle por não conseguirem cuidar do filho como gostariam.

style="display:block; text-align:center;" data-ad-layout="in-article" data-ad-format="fluid" data-ad-client="ca-pub-6652631670584205" data-ad-slot="4150813131">

A pesquisa A Dor no Cotidiano mostrou que os principais fatores que levam os entrevistados a confiarem em uma marca de analgésicos são a qualidade e a eficácia (50%). “Por causa da vida agitada, muitas vezes, as mães não querem e optam por não parar as suas atividades, nem quando têm dor. Assim, Advil pode ser a opção para o alívio mais rápido das dores”, destaca Eli Yamauchi, gerente de grupo de marcas Health da Consumer Healthcare.

iA Dor no Cotidiano. Pesquisa encomendada pela Pfizer Consumer Healthcare, conduzida pelo Ibope Conecta, julho de 2017.

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

DikaJob

Para adicionar comentários, você deve ser membro de DikaJob.

Join DikaJob

Faça seu post no DikaJob