Pfizer e Mylan vão fundir negócios

9849557074?profile=original

A Pfizer deverá anunciar nesta segunda-feira a combinação de seus negócios de medicamentos não protegidos por patentes com a Mylan, uma fabricante de medicamentos genéricos com um valor de mercado de US$ 9,5 bilhões. A informação foi dada ontem por fontes a par da operação.

A companhia farmacêutica dos Estados Unidos deverá fazer uma cisão da nova unidade para criar uma vendedora bem maior de medicamentos genéricos não protegidos por patentes, incluindo marcas que já foram grandes sucessos de vendas como Lipitor e Viagra.

Os acionistas da Mylan vão controlar 40% da nova empresa e a Pfizer receberá perto de US$ 12 bilhões em recursos com a venda de dívida, segundo as fontes. O negócio deverá envolver apenas ações.

Pelos planos, Heather Bresch, a presidente-executiva da Mylan, deixará a companhia depois de comandá-la por sete anos.

As grandes empresas farmacêuticas vêm recorrendo cada vez mais a fusões e aquisições nos últimos anos, para vender ativos considerados não essenciais ou comprar empresas inovadoras da área, na medida em que seus próprios produtos se aproximam do vencimento de patentes. Todas as grandes empresas estão se concentrando em se tornar uma das três maiores em qualquer que seja a categoria em que operam.

A transação da Pfizer com a Mylan é a mais recente de uma série de grandes negócios farmacêuticos e na área de cuidados com a saúde registrados neste ano. Entre eles estão a aquisição da empresa de biotecnologia Celgene pela Briston-Myers Squibb por US$ 90 bilhões, o takeover da companhia de terapias genéticas Spark Therapeutics pela Roche por US$ 4,8 bilhões, e a aquisição da especialista em robótica cirúrgica Auris Health pela Johnson & Johnson por US$ 3,4 bilhões. No mês passado, a AbbVie sinalizou sua intenção de comprar a Allergan, a fabricante do Botox, por US$ 63 bilhões.


As ações da Mylan perderam três quartos de seu valor desde o pico alçancado em 2015, com a fabricante de genéricos tendo problemas com a queda dos preços nos EUA. Ela também causou controvérsia ao elevar dramaticamente o preço do EpiPens, um produto usado no tratamento de reações alérgicas.

Em agosto, o conselho de diretores da Mylan anunciou que iria fazer uma análise estratégica de suas opções, pois temia que os mercados públicos americanos estivessem subestimando seu valor. No trimestre passado, a companhia disse que as vendas de seu medicamento para o tratamento da esclerose múltipla foram piores que as esperadas e ela também não conseguiu aprovação para produzir uma versão genérica do Advair, um medicamento para controle da asma desenvolvido pela companhia farmacêutica britânica GlaxoSmithKline (GSK).

Se o negócio for concretizado, Michael Gottler, que comanda a Upjohn, a empresa da Pfizer encarregada de medicamentos não protegidos por patentes, com sede em Xangai, será o presidente-executivo da nova companhia, enquanto Robert Coury, presidente do conselho de administração da Mylan, será o chairman executivo, segundo informaram as fontes. O negócio foi anunciado em primeira-mão pelo “The Wall Street Journal”.

A Pfizer vem tentando se reposicionar como uma empresa menor voltada mais para vacinas e medicamentos inovadores. Para isso, ela está desmembrando sua operação de saúde do consumidor em uma joint venture com a unidade de consumo da GSK. Ela também está realizando aquisições para reforçar sua posição em áreas avançadas como oncologia, com a compra da Array BioPharma, uma empresa Colorado, por US$ 10,6 bilhões em junho.

A Pfizer encontra-se sob pressão política, inclusive do presidente dos EUA, Donald Trump, por causa do aumento dos preços dos medicamentos, incluindo o do Viagra e outros das operações da Upjohn.

A nova empresa da Pfizer vai se concentrar em medicamentos cuja exclusividade de vendas expirou. Ela vai combinar os medicamentos genéricos, frequentemente fabricados por empresas diferentes das que desenvolveram os produtos, com medicamentos não protegidos por patentes, que a Pfizer vendia como marcas importantes antes do vencimento de suas patentes.

Fonte: Valor Online

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

DikaJob

Para adicionar comentários, você deve ser membro de DikaJob.

Join DikaJob

Faça seu post no DikaJob